September 18, 2019

February 28, 2019

July 6, 2018

February 13, 2018

December 12, 2017

Please reload

Posts Recentes

Os Cristais e os Chakras

February 28, 2019

1/5
Please reload

Posts Em Destaque

Jaspe Vermelha - Pedra da Proteção

July 24, 2018

 

A Jaspe é conhecida como a “suprema pedra nutriz”. Ela dá apoio e sustento durante períodos de estresse e traz tranquilidade e integridade. Usada na cura, unifica todos os aspectos da nossa vida. A Jaspe lembra as pessoas de se ajudarem mutuamente.

 

Essa pedra alinha os chakras e pode ser usada sobre cada um deles. Cada cor é apropriada para um chakra diferente. A Jaspe facilita as viagens xamânicas e a lembrança dos sonhos. Ela dá proteção e aterra as energias do corpo. Absorve energia negativa do corpo e limpa e alinha os corpos físicos, emocional e mental com o reino etérico.

 

Inspira coragem para lidarmos com os problemas de modo mais assertivo e estimula a honestidade com relação a nós mesmas. Estimula a imaginação e transforma ideias em ação.

 

A Jaspe prolonga o prazer sexual. Dá sustentação em períodos de doença prolongada ou hospitalização e revigora o corpo.

 

A Jaspe Vermelha aterra a energia e retifica questões de justiça. Traz problemas à luz antes que eles se tornem grandes demais e favorece lampejos intuitivos sobre as situações mais difíceis. É uma pedra excelente para dias em que estamos preocupadas, pois acalma as emoções enquanto a pegamos na mão e brincamos com ela. Colocada sob o travesseiro, ela ajuda na recordação de sonhos. Limpa e estabiliza a aura e fortalece fronteiras. É uma pedra da saúde, que fortalece e desintoxica o sistema circulatório, o sangue e o fígado. Ela dissolve bloqueios no fígado ou nos canais por onde passa a bile. Coloque-a no chakra da base ou onde for mais apropriado.

 

 

Signo: Áries

 

No nosso site você encontra a Jaspe Vermelha de duas formas, em joias de Macramê, ou soltas, em formato cabochão!

www.tendadalua.com

 

Fonte: HALL, Judy. A Bíblia dos Cristais: o guia definitivo dos cristais / Judy Hall; tradução Denise de C. Rocha Delela. São Paulo: Pensamento, 2008.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga